5 passos para começar a investir

De coaching financeiro a canais no YouTube, atualmente, o que não faltam no Brasil são informações sobre investimentos e finanças pessoais. No entanto, nem sempre as informações são claras ou suficientes para, de fato, iniciar uma vida de investimentos. Confira, agora, os passos que preparamos para começar a investir:

1º Passo: Abra conta em uma corretora e/ou banco digital

Bancos digitais têm ótimas plataformas de investimentos e com rentabilidades acima da poupança e do Tesouro Direto
Já não faz mais sentido ter conta só em bancos grandes, além das taxas de administração cobradas, eles ainda não remuneram o justo pelos investimentos;
Os bancos digitais, além de não cobrarem taxas, têm plataformas de investimentos mais atrativas;
Corretoras de valores são multimarcas de investimentos, em que é possível encontrar renda fixa, fundos imobiliários e ações. 

2º Passo: Faça o questionário Suitability 

O mercado financeiro ama nome difícil, mas esse questionário é apenas para saber seu perfil de investidor. Se você é Conservador, Moderado ou Arrojado em relação ao seu dinheiro e investimentos. Entenda:
1. O perfil conservador
Entre os perfis de investidores, um dos que mais se destacam é o conservador. Aquele que não está disposto a correr muitos riscos, e prefere a segurança a uma maior rentabilidade. O conservador também prefere uma maior liquidez em seus investimentos, ou seja, um resgate mais rápido e com poucas possibilidades de perda.
Por esse motivo ele prioriza a renda fixa; investindo pouco ou nada em renda variável. As aplicações em renda como os títulos do Tesouro Direto, CDBs, LCIs, LCAs, debêntures entre outros, apresentam retornos mais previsíveis.
Ainda assim, é recomendável que se invista uma pequena parcela de seu capital em ações ou fundos de ações; principalmente em momentos de juros baixos, como é o caso atualmente. 
2. O perfil moderado
Esse é o tipo de perfil “meio-termo”. Trata-se do investidor que está disposto a se arriscar um pouco mais, em comparação ao conservador, para ter uma maior rentabilidade.
Assim, o investidor moderado aumenta a chance de receber melhores rendimentos, mas sempre com “um pé atrás”. Ele, geralmente, consegue dividir sua carteira de investimentos entre renda fixa e variável, mas com prevalência da primeira sobre a segunda.
Apesar de ousar correr riscos, se tiver que optar entre riscos muito elevados e rendimentos mais comedidos – mas, em algum grau, garantidos – ele, geralmente, fará a segunda opção.
Em renda variável, o investidor moderado costuma aplicar em fundos multimercados e ações.
3. O perfil arrojado
Trata-se de um perfil mais propenso a correr risco, e em sua grande maioria, encara melhor as perdas. O investidor arrojado entende que a rentabilidade está diretamente associada ao nível de risco e, por esse motivo, encara melhor os investimentos com retornos mais incertos, desde que sejam altos (na sua perspectiva).
Visando objetivos de longo prazo, o investidor arrojado mantém sua carteira em aplicações sujeitas à volatilidade durante o período que estiver na fase de acumulação de capital.
Apesar de se dispor a correr riscos, o investidor arrojado faz tudo de forma calculada, evitando investir sem fazer projeções. Ele arrisca, mas com bom senso, visando ganhos maiores e não prejuízos desnecessários.

3º Passo: Escolha o melhor produto para você

Este passo é muito importante para o seu planejamento! Investimento é algo para a vida, por isso se trata de uma construção. Qual é o objetivo do dinheiro que você está investindo? Uma viagem? Emergência? Aposentadoria? 
Se é para viagem ou emergências é um propósito de curto prazo. Consequentemente, não é recomendado correr riscos de, por exemplo, investir R$ 5.000,00 e amanhã estar apenas com R$ 4.500,00. Para casos como este é preciso algo mais seguro e possa ser resgatado a qualquer momento. Para este objetivo existem produtos de curto prazo e/ou liquidez diária. 
Se é para sua aposentadoria coloque um prazo mais longo e de uma forma que você não possa mexer! A vantagem de prazo mais longo é que as taxas de rentabilidade são melhores. 

4º Passo: Invista de forma periódica

Dinheiro não sobra! Você precisa dar um destino para ele. E esse destino será, por exemplo, o investimento no seu “eu” do futuro.  Portanto, mensalmente, separe um valor e invista no seu objetivo.

5º Passo: Divirta-se!

Isso é para você; para o seu sonho! Não faz muito sentido você querer fazer algo e pensar: “Se eu tivesse guardado aquela grana...” Portanto, veja com otimismo e bons olhos os seus investimentos, mantendo sempre a expectativa de realizar os seus sonhos/projetos em alta.
A hora de começar a investir é agora! 
5 passos para começar a investir 5 passos para começar a investir

Notice: Undefined variable: mediaRating in /var/www/html/contaespecialista.com.br/app/views/blog-geral.php on line 261
estrelas - "5 passos para começar a investir"